fbpx

Analista indica 4 criptomoedas que subiram mais de 30% enquanto Bitcoin caiu abaixo de US$ 29 mil com a queda de 99% da Luna

Nesta semana, o cenário de criptomoedas obteve um pequeno alento comparado aos péssimos dias decorrentes da queda de 99% da Terra (LUNA) e da ‘falência’ de sua stableboin o UST que perdeu sua indexação com o dólar e levou o mercado de criptomoedas a uma grande desvalorização, com o Bitcoin (BTC) caindo abaixo de US$ 29 mil.

Porém para Lucas Schoch, CEO e fundador da Bitfy, o momento agora é de recuperação. Neste sentido ele aponta 4 criptoativos que conseguiram ‘escapar’ da espiral de queda do mercado e registraram valiorização de mais de 30% nos últimos 7 dias.

No primeiro lugar na lista de Schoch está a ApeCoin, um token ERC -20 de governança do APE Ecosystem, lançado na Blockchain da Ethereum.

“Nesta semana o token chegou a uma valorização registrada em equivalentes 43,73%, mas segue instável nos próximos dias, decorrente da alta volatilidade que estamos presenciando”, disse.

Em segundo lugar ele aponta o Decentraland (MANA), o utility token da plataforma de metaverso Decentraland, cofundado por Ariel Meilich e Esteban Ordano.

No mundo virtual Decentraland, os usuários podem comprar lotes de terreno para que possam futuramente navegar, monetizar e construir dentro da plataforma, além de participar de jogos e eventos realizados pela empresa.

“O token MANA que pode pode ser usado para pagar uma vasta gama de acessórios para avatares, vestimentas e uma infinidade de outros objetos dentro da Decentraland vem valorizando cerca de 35% nesta semana”, apontou.

Em terceiro lugar ele destaca a Zcash, que foi lançada originalmente com base no código do Bitcoin, em 28 de outubro de 2016. O analista destaca que o Zcash subiu 28% nesta semana.

E, encerrando o ranking do analista está a Maker, que possui um token de governança da MakerDAO e do Maker Protocol, chamado MKR. Respectivamente uma organização descentralizada e uma plataforma de software, ambas baseadas na blockchain da Ethereum, que permite aos seus usuários gerenciar e emitir a stablecoin, DAI.

“Lançado em 2017, o Maker é um projeto cuja atividade é operar o DAI, atrelada ao dólar americano, através do gerenciamento de sua comunidade, e nesta última semana vem obtendo uma valorização de 26%”, finaliza.

Bitcoin vai cair ou vai subir?

Sobre o preço do Bitcoin o analista Mike Ermolaev, head de PR da ChangeNOW, aponta que, no longo prazo, nada mudou e apesar das oscilações a tendência do BTC continua em alta e que as baleias estão aproveitando o momento para acumular mais BTC dos investidores que temem o momento atual e vendem suas criptomoedas.

Fonte: Lookintobitcoin.com

“As baleias parecem estar comprando silenciosamente a queda, com um aumento em sua atividade começando no início de fevereiro de 2022 e permanecendo constantemente em torno desse nível. O número de carteiras contendo mais de 1.000 BTC atingiu 2.230 em 15 de maio de 2022”, disse

Fonte: Lookintobitcoin.com

Ermolaev, aponta que a baleia 1P5ZEDWTKTFGxQjZphgWPQUpe554WKDfHQ parece estar acumulando grande quantidade de Bitcoins e em 7 de maio de 2022, comprou um pedaço considerável de 1.000 BTC quando valia cerca de US$ 36 mil e, em 14 de maio, acumulou mais 553 BTC quando a principal criptomoeda foi negociada em cerca de US$ 30 mil.

Fonte: Bitinfocharts.com

Porém ele aponta que, além da acumulação das baleias, é importante ver a análise técnica junto com a análise fundamental, pois a análise técnica por si só não pode ser confiávele cita o gráfico abaixo com o RHODL Ratio realizado que analisa a relação entre as bandas RHODL de 1 semana versus bandas RHODL de 1-2 anos.

Segundo ele este gráfico pode identificar com alta precisão cada alta de preço dos macrociclos anteriores do Bitcoin.

“O RHODL Ratio tem a capacidade de prever o recuo do Bitcoin quando a linha entra na faixa vermelha superior e também pode prever seu rali após passar um tempo dentro da faixa verde inferior. Tal como está, a linha está se dirigindo para a banda verde inferior, o que significa que o preço do BTC pode começar a subir depois de passar algum tempo lá, como historicamente tem feito ao longo de toda a sua existência”, destaca.

Fonte: Lookintobitcoin.com

Ermolaev afirma que o clima econômico atual é muito diferente do passado, com a economia global à beira do colapso, porém o Bitcoin ainda é considerado um ativo de risco, ponderado pelos mesmos fatores que as ações, no entanto, isso tende a mudar ao longo dos próximos anos, segundo ele.

“Basicamente, o Bitcoin não é o mesmo que ativos tradicionais; o público só precisa mudar sua percepção sobre isso. Eu acredito que isso vai acontecer e em breve veremos o incrível crescimento do Bitcoin”, finaliza.

 

Fonte das informações: Cointelegraph

Não há Tags

14 visualizações, 1 hoje

  

14 visualizações, 1 hoje

Fale Conosco!